Segundo delegado, morte do cartunista Glauco foi premeditada

O delegado disse que, no depoimento, Cadu contou que comprou a arma usada no crime e munição na periferia de São Paulo.


Cartunista Glauco Villas Boas
O delegado Archimedes Cassão Veras Júnior, que está sendo responsável pela investigação da morte do cartunista Glauco Villas Boas e de seu filho Raoni, disse ontem que Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, o Cadu, planejou todo o crime. O principal suspeito do assassinato, que confessou o crime, foi interrogado ontem durante três horas em Foz do Iguaçu, no Paraná.  

De acordo como o delegado, Cadu contou no depoimento, que comprou a arma usada no crime e munição na perifieria de São Paulo. Inicialmente o plano era de seqüestrar Glauco, que também era líder da igreja Céu de Maria - para que ele dissesse à mãe do acusado que ele era Jesus Cristo.

O jovem inocentou também o amigo Felipe Iasi, de 23 anos, que levou o acusado até a chácara. Segundo o delegado, Cadu irá ficar preso na PF (Polícia Federal) de Foz de Iguaçu nos próximos dias.

Ele não será transferido para São Paulo, pois foi preso em flagrante por tentativa de homicídio contra um policial federal. Cadu está preso na PF de Foz do Iguaçu depois de tentar cruzar a fronteira entre Brasil e Paraguai.

Glauco fazia charges para a Folha de S. Paulo, veja uma:


Fonte: eBand

Mikael Fernandes

Escritor e administrador no blog, técnico em Redes de Computadores. Tem uma grande afeição por tecnologia e gosta de compartilhar notícias e informações relevantes.