Emprego com carteira assinada bate recorde no Estado


Indústria foi a principal responsável pelo aumento da criação de vagas.

Com a recuperação da indústria gaúcha, o Rio Grande do Sul registrou em março, um recorde no saldo mensal de empregos com carteira assinada. O número de vagas é 28.254, o maior desde o início da série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), no ano de 2003.

No mês anterior o setor foi responsável por 60% da diferença entre contratações e desligamentos. No país também houveram recordes, com melhor primeiro trimestre - 657.259 postos, e o melhor mês de março no governo Lula - 266.415.

A socióloga Irene Galeazzi, uma das coordenadoras da pesquisa de emprego e desemprego da Fundação Gaúcha do Trabalho, lembra que, no total do ano de 2009, a indústria foi a única a registrar perda de postos de trabalho na Região Metropolitana de Porto Alegre.

Para esta especialista, o número  recorde de março permite levantar a hipótese de que o setor esteja voltando ao seu patamar que antecedeu a crise.

Outro coordenador da pesquisa, o técnico Dieese Eduardo Schneider observa ainda que, se pode perceber a recuperação generalizada não só da indústria de bens de capitais, mas também de bens de consumo.

"Vamos viver o melhor abril, o melhor semestre e o melhor ano da geração de empregos" afirmou Carlos Lupi, o ministo do Trabalho, ao divulgar os dados e prever a criação líquida de 340 mil a 360 mil vagas no país este mês, o que seria o melhor resultado mensal para toda a série histórica.

De acordo com Lauro Ramos, coordenador de Estudos de Mercado de Trabalho no Rio do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, é possível que o Brasil esteja vivendo um ciclo virtuoso em que o mercado de trabalho realimenta o crescimento da economia e este gera ainda mais empregos.
Fonte: Zero Hora

Mikael Fernandes

Escritor e administrador no blog, técnico em Redes de Computadores. Tem uma grande afeição por tecnologia e gosta de compartilhar notícias e informações relevantes.