Satélite europeu irá investigar derretimento nos polos

Quanto mais gelo derrete, mais radiações a Terra absorve, a mudança climática é mais severa, e mais rapidamente as calotas polares diminuem.

O CryoSat é o satélite mais complexo já criado para analisar as camadas de gelo da Terra. O satélite será lançado ao espaço no dia 8 ainda deste mês de abril, tendo como objetivo proporcionar dados úteis para que possa ser evitado mais derretimentos nos polos.

O novo satélite irá realizar uma das seis missões de observação da Terra do programa Planeta Vivo, da European Space Agency (ESA) ou Agência Espacial Européia. Esta ferramenta que irá ser utilizada é a mais avançada da história e irá mostrar a quantidade de gelo que está desaparecendo das calotas polares.


Nos últimos verões, a camada de gelo que cobre o oceano Ártico chegou a índices mínimos históricos. "É necessário determinar a variação da espessura do gelo para entender melhor a mudança climática" disse a ESA.

O lançamento do satélite será um marco importante para ESA, pois será a terceira missão Earth Explorer para ser colocado em órbita em pouco mais de doze meses

Origem do nome do CryoSat

Nome inspirado na palavra grega "kryos" que significa (frio ou gelo).

Informaçãoes que o satélite poderá fornecer

O satélite poderá oferecer dados precisos de um centímetro sobre as variações na mudança da espessura do gelo, que pode alcançar cinco quilômetros na Antártida, e irá ampliar os conhecimentos sobre a salinidade dos oceanos.

Fonte: Folha Online

Mikael Fernandes

Escritor e administrador no blog, técnico em Redes de Computadores. Tem uma grande afeição por tecnologia e gosta de compartilhar notícias e informações relevantes.